O primeiro contato com o C3 Exclusive causa boa impressão. O visual externo mudou para melhor e o interior também. Mas o que ele tem de muito bom e quais são os pontos negativos deste hatch?C3-CURTIMOS

 

+ É o segundo hatch compacto mais barato para reparar

O C3 garantiu asegunda posição no índice CAR Group 2013. Criado em 1997 o ranking compara a facilidade e o custo de reparo de veículos de uma mesma categoria.

+ Lista de equipamentos é recheada; para-brisa panorâmico é destaque

Na versão topo de linha, o C3 conta com acabamento caprichado e vários mimos, incluindo porta-luvas refrigerado, ar-condicionado digital, belas rodas de 16 polegadas com acabamento cromado, entre outros detalhes. Mas o principal chamariz é mesmo o para-brisa Zenith, que possibilita aumentar a área envidraçada sobre a cabeça dos bancos da frente. Em dias de calor intenso não é uma boa mantê-lo aberto (a menos que você queira se bronzear!).

+ Silêncio a bordo

O bom isolamento acústico do C3 impressiona. Com os vidros fechados, o silêncio é quase absoluto. É possível conversar sem ter que aumentar o tom de voz, mesmo em velocidades mais altas. O barulho do motor, no entanto, só pode ser ouvido em rotações mais elevadas.

C3-NÃOCURTIMOS

+ Consumo deixa a desejar

Um dos pontos mais valorizados na hora de levar um carro para a casa é o consumo. E esse não é o ponto forte do C3. Noteste Carsale- Mauáas médias urbanas foram de 5,7 km/l e 7,1 km/l com etanol e gasolina, respectivamente. Já os valores na estrada ficaram em 10,6 km/l e 13,5 km/l (gasolina e etanol). Beberrão, não é? Quem quiser saber o consumo dos rivaisNew Fiesta e Peugeot 208, pode conferir aqui no comparativo.

+ Ausências: porta-objeto prático, ajuste do cinto e controles no volante

Embora tenha um interior agradável, uma das falhas do C3 é a falta de porta-objetos funcionais. Um exemplo disso é que o console central não acomoda bem a sua carteira ou celular. Basta uma freada para os objetos voarem. Outro vacilo é a ausência do ajuste de altura do cinto de segurança. Pessoas de menor estatura se sentem enforcadas. Além disso, os comandos para o controle do som são do tipo satélite, localizado atrás do volante. Nada prático. Poderiam ser substituídos pelas teclas no volante. Não acham?