[wppa type=”slide” album=”29″][/wppa]

Ícone do segmento de utilitários esportivos há mais de duas décadas, o Jeep Grand Cherokee – atualmente na quinta geração – passou por uma reformulação na linha 2014 e já é vendido no Brasil desde o final do ano passado com novidades estéticas e mecânicas. Sem perder a essência de veículo robusto capaz de encarar o fora-de-estrada com conforto e sofisticação, o jipão é oferecido em duas configurações: Laredo (R$ 185.900) e Limited (R$ 214.900).

De visual renovado e dotado de novas tecnologias de entretenimento para os ocupantes, o Grand Cherokee 2014 tem como principal novidade a caixa automática de oito velocidades produzida pela alemã ZF, que também fornece transmissões para a Land Rover, Volkswagen, entre outras montadoras.

O propulsor Pentastar de 3.6 litros V6 a gasolina – que entrega 286 cv de potência e 35,4 kgfm de torque a elevados 4.300 rpm – ficou mais eficiente, segundo a Jeep, graças à adoção do recurso Eco Mode, que atua em conjunto com o novo câmbio, priorizando sempre as marchas mais altas, e na calibração do acelerador para favorecer a economia de combustível. De acordo com a fabricante, o modelo tem consumo médio de 7 km/l na cidade e 12 km/l na estrada.

Já a motorização de 3.0 litros V6 a diesel de 241 cv só chegará ao mercado brasileiro em março. A configuração ainda não teve o preço definido, mas deverá custar cerca de R$ 15 mil a mais que a versão Limited a gasolina, segundo a Chrysler, dona da marca Jeep.

Para ficar com uma aparência mais atual, mas sem perder a essência caracterizada pela grade frontal segmentada, o Grand Cherokee perdeu diversos elementos cromados que ornamentavam a carroceria. A frente ganhou um visual mais moderno com a adoção de novos faróis de LED, enquanto a tampa traseira (com acionamento de subida e descida automático) ficou bastante parecida com a do crossover grandalhão Durango. As rodas de liga leve – de 18 polegadas na Laredo e 20 na Limited – também foram redesenhadas.

Na cabine, chama a atenção o novo quadro de instrumentos dotado de uma tela de sete polegadas com imagens fixas do velocímetro, conta-giros, marcador de combustível e de temperatura do motor, além de informações do sistema de tração, computador de bordo e do GPS.

Na versão topo de gama Limited, o painel conta ainda com uma tela de 8,4 polegadas que exibe informações do sistema de entretenimento (GPS, som, comandos de telefonia por Bluetooth, ajustes do ar-condicionado, entre outras funções).

Jipão mostra virtudes no fora-de-estrada

Embora quase 100% dos compradores do Grand Cherokee utilizem o veículo majoritariamente em território urbano, o modelo continua esbanjando valentia no fora-de-estrada. O jipão encara terrenos acidentados e subidas íngremes com desenvoltura, sem comprometer o conforto de quem está a bordo graças à tração 4×4 permanente Quadra-Trac II, com reduzida e sistema Selec-Terrain (sistema que gerencia a tração, motor, câmbio e freios de acordo com o tipo de piso a ser enfrentado). No asfalto, no entanto, o motor demora um pouco a embalar o SUV de mais de 2.100 quilos por disponibilizar o torque máximo de 35,4 kgfm a apenas 4.300 rpm.

A Chrysler estima vender cerca de 2 mil unidades do Grand Cherokee no Brasil em 2014. As vendas deverão continuar sendo dominadas pela versão a diesel (50% do mix), seguida pela Limited (30%) e Laredo (20%), ambas com a motorização a gasolina.