A Audi está comemorando 20 anos de atuação no Brasil. E, para marcar a data, inicia o ano com uma novidade bastante competitiva: o A3 Sedan. Produzido na Hungria, o três-volumes chega ao país por R$ 116.400. Confira todos os detalhes do modelo no vídeo de avaliação 90 segundos.

A primeira versão sedã da famosa família A3 é elegante e moderna. Destaque para o caimento suave da linha do teto, que faz o modelo lembrar um cupê. Por dentro, ele segue a cartilha da marca alemã, privilegiando o conforto e abusando de materiais refinados.

Feito sobre a plataforma modular do Grupo Volkswagen, a MQB (Modularer Querbaukasten, em alemão), o sedã traz sob o capô o motor 1.8 TFSI a gasolina de 180 cv de potência a 5.100 rpm e 25,4 kgfm de torque disponíveis a partir de 1.250 rpm. Esse conjunto, acoplado ao câmbio automatizado S Tronic de sete velocidades e dupla embreagem, garante um desempenho elogiável. Destaque para o sistema Audi Drive Select, que regula parâmetros do pedal do acelerador, direção e suspensão para possibilitar desde um rodar mais suave até uma tocada mais esportiva.

Noteste Carsale-Mauá, feito na pista pelos engenheiros do Instituto Mauá de Tecnologia (IMT), o sedã mostrou-se esperto e ao mesmo tempo econômico. Na prova de aceleração até os 100 km/h ele conseguiu cravar7,78 segundos. Já oconsumo urbano ficou em 11,3 km/l, enquanto o rodoviário foi de 16,9 km/l.

De série o A3 Sedan oferece sete airbags, sistema start-stop (que desliga o carro em paradas breves), teto-solar elétrico, transmissão de dupla embreagem com borboletas para trocas atrás do volante, freio de estacionamento elétrico, ar-condicionado de duas zonas, entre outros itens.

Vale destacar que a vida de “estrangeiro” do A3 Sedan está com os dias contados, uma vez que foi confirmada a suaprodução nacional para o segundo semestre de 2015. O modelo será fabricado em São José dos Pinhais (PR), onde também será feito o utilitário compacto Q3, a partir do primeiro semestre de 2016.

Durante a apresentação do sedã, o presidente da Audi no Brasil, Jörg Hofmann, fez questão de ressaltar o seu otimismo com a nova fase da marca. “A Audi voltou ao Brasil para ficar”, garantiu.