comparativo_abre

Considerados os principais competidores atuais do segmento de compactos “acima dos populares”, o Ford New Fiesta e o Peugeot 208 estão deixando muita gente confusa no momento de escolher um hatch com motorização acima de 1.0 litro, nível de acabamento superior e pacote de equipamentos mais farto. Ambos são projetos globais, mas o modelo da Ford já era importado do México desde o final de 2011 antes de começar a ser produzido em São Bernardo do Campo (SP) em março deste ano, enquanto o carro da montadora francesa já estreou no mercado brasileiro com produção local (o 208 compartilha desde abril a linha de montagem, plataforma e outros componentes com o Citroën C3 na fábrica da PSA, na cidade fluminense de Porto Real).

O Carsale realizou um comparativo com os dois compactos tendo como base as configurações de entrada, dotadas de motorização de 1.5 litro. Para isso, utilizamos o New Fiesta S e o 208 Active. No entanto, o Peugeot que ilustra a matéria é uma unidade da versão Allure que esteve conosco durante o Alta Rodagem, portanto, consideramos para o teste apenas o comportamento dinâmico do carro, deixando de lado os equipamentos disponíveis na variante mais cara.

Custando a partir de R$ 39.980, o New Fiesta S leva sob o capô um motor 1.5 de 16 válvulas, que desenvolve 107/111 cavalos de potência (gasolina/etanol) e 14,4/14,7 kgfm a 4.250 rpm, acoplado a um câmbio manual de cinco marchas. De série, o hatch traz ar-condicionado, direção com assistência elétrica, airbags frontais, freios com ABS (anti-travamento) e EBD (distribuidor de frenagem), rádio AM/FM/USB, avisos de portas abertas e faróis acesos, limpador e desembaçador do vidro traseiro, chave canivete, vidros dianteiros, retrovisores externos, travas das portas eda tampa do porta-malas com acionamento elétrico, alarme volumétrico, faróis com temporizador, ganchos ISOFIX para a fixação de cadeirinhas infantis nobanco traseiro, além de rodas de rodas de aço de 15 polegadas com calotas, entre outros itens.

[wppa type=”slide” album=”67″][/wppa]

O 208 Active (R$39.990) é equipado com um bloco 1.5, porém de oito válvulas, e 13,5/14,2kgfm a 3 mil rpm. A transmissão também é manual de cinco velocidades. O pacote de equipamentos de série é semelhante ao do New Fiesta, com exceção do sistema de áudio e dos retrovisores elétricos presentes no rival.

O 208 só se sobressai em relação ao concorrente a partir da versão Active Pack – lançada em julho por R$ 42.990, mas já ausente do site da fabricante – por contar com itens ausentes nas configurações 1.5 do New Fiesta. Além dos espelhos elétricos, o 208 Active Pack acrescenta volante revestido em couro, central multimídia com tela de 7 polegadas sensível ao toque, sistema de som, GPS e funções do computador de bordo (a variante traz ainda rodas de liga leve de 15 polegadas). O carro como o das fotos, configurado na versão Allure, parte de R$ 46.290 e ainda traz o teto panorâmico fixo.

Embora traga alguns equipamentos a mais em sua versão mais barata, o New Fiesta decepciona pelo acabamento simplório demais para um carro de sua categoria. O interior é revestido, predominantemente, em plástico duro na cor preta com arremates dignos de modelos mais populares. A Peugeot, entretanto, mostra mais esmero ao utilizar materiais de melhor qualidade e no cuidado na montagem das peças.

FIMIMG_7378(3)

Como andam?

Os motores dos dois hatches são bicombustíveis e contam com tecnologia que dispensa o uso do tanquinho de gasolina para a partida a frio. A unidade de força do New Fiesta, no entanto, é feita em alumínio (cabeçote, bloco e cárter) e dotada de comando variável de válvulas. Já o bloco do Peugeot é uma evolução do antigo motor 1.4 do veterano 207.

Devido o seu motor ser mais moderno e ter 18 cv a mais, o New Fiesta apresenta desempenho ligeiramente superior ao do 208. As acelerações e arrancadas são mais espertas. Nas retomadas, no entanto, a performance é mais parelha. O câmbio do Ford é um pouco mais macio de operar, enquanto o do Peugeot requer um pouco mais de tempo para se acostumar.

Os dois modelos contam com sistemas de direção muito bem acertados, com bom peso e precisão, mas o do 208 merece destaque por ser mais leve em manobras e, principalmente, pelo volante de raio reduzido, que confere uma ótima dirigibilidade em estradas e trechos sinuosos.

A suspensão do New Fiesta tem calibração mais firme, mas não castiga os ocupantes ao rodar em vias com asfalto castigado, mas perde em conforto para a do 208. O modelo da marca francesa tem rodar mais macio, porém mantém a firmeza em curvas.

O desempenho ligeiramente superior do New Fiesta fez com que fôssemos com mais frequência ao posto de abastecimento. Enquanto o 208 superava a marca dos 10 km/l, rodando na cidade, o Ford manteve uma média de 7 km/l. Na estrada (a velocidades variando entre 90 e 120 km/h) a diferença foi ainda maior: o Peugeot chegou a registrar um consumo médio de 13 km/l, ante os 8 km/ldo compacto fabricado em São Bernardo do Campo. Vale lembrar que os carros estavam abastecidos com etanol.

No quesito consumo, o 208 também levou vantagem nos testes realizados pelo Instituto Mauá de Tecnologia (IMT). Com o combustível vegetal no tanque, o modelo teve as seguintesmarcas: 8,8 km/l na cidade e 12,8 km/lna estrada. O New Fiesta registrou 8,9 km/l em trecho urbano e 11,7 km/l em percurso rodoviário.

Abastecidos com gasolina, os resultados foram 11,5 km/l rodando na cidade e 16,2 km/l na estrada para o Peugeot, enquanto o Ford alcançou os 11,2 km/l em percurso urbano e 14,9 km/l no trecho rodoviário.

O IMT também levou os carros à sua pista de testes para uma avaliação de desempenho. Abastecidos com o derivado de cana-de-açúcar, o Ford acelerou de 0 a 100 km/h em 12,2 segundos, deixando para trás o Peugeot, que cumpriu a prova em 13,33 s.

MEIO_IMG_7314(1)

Mercado

De acordo com o relatório da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave), a Ford comercializou 11.992 unidades do Fiesta em setembro, com um acumulado de 99.402 veículos. Mas vale lembrar que os números do New Fiesta são contabilizados com os do Fiesta Rocam. Já o 208 teve 2.064 carros vendidos no último mês, somando 14.873 emplacamentos.

Os números têm comprovado que a nacionalização do New Fiesta foi uma decisão bem-sucedida da Ford, que passa oferecer o hatch em diversas faixas de preços. O compacto tem um conjunto mecânico bastante interessante eagrada a quem gosta de dirigir. A fabricante peca ao não dar o devido cuidado em termos de acabamento interno a um carro que tem preço inicial na faixa dos R$ 40 mil e é uma de suas grandes apostas no mercado global.

Já o 208 esbarra no preconceito (que vem diminuindo) do consumidor brasileiro com relação a carros de fabricantes francesas. Embora seja equipado com um motor mais defasado em relação ao do New Fiesta, o Peugeot tem qualidades – como bom acabamento e espaço interno – que o coloca entre os melhores de sua categoria.