Repleto de tecnologia, versão híbrida do sedã da Ford desembarca no País apostando no luxo combinado com eficiência energética

Fusion Hybrid completa a gama por R$ 124.990

A Ford apresentou na última segunda-feira (5) a segunda geração do Fusion Hybrid no Brasil. O modelo equipado com um bloco a gasolina de 2.0 litros  e um motor elétrico chega às concessionárias da marca no final do mês por R$ 124.990 e passa a ser o mais caro da gama: as versões 2.5 Flex de 175 cv e 2.0 EcoBoost AWD de 240 cv partem de R$ 92.900 e 114.990, respectivamente.

O Fusion Hybrid, de acordo com a Ford, será direcionado a consumidores do mercado premium, bem informados a respeito de inovações tecnológicas e potenciais clientes de modelos que atuam na faixa de preços entre R$ 120 mil e R$ 130 mil, como Audi A4, BMW Série 3 e Mercedes-Benz C180. A montadora diz que o híbrido representará cerca de 10% do mix de vendas da versão Titanium (aproximadamente 40 carros por mês).

O sedã sai de fábrica com o mesmo pacote de equipamentos da versão EcoBoost AWD, que disponibiliza direção com assistência elétrica, ar-condicionado automático digital, oito airbags, auxílio para permanência em faixa, alerta de colisão, sistema de monitoramento de pontos cegos, assistente de partida em rampa, controles de tração e estabilidade, sensores de chuva e luminosidade, rodas de liga leve de 18 polegadas, teto-solar elétrico, alerta de tráfego cruzado, sistema multimídia SYNC, câmera de ré, botão de partida, sistema de estacionamento automático, controle de cruzeiro adaptativo, tomada de 110 volts, entre outros.

O mais econômico do Brasil

A Ford destaca os números do Programa de Etiquetagem Veicular do Inmetro para afirmar que o Fusion Hybrid é o automóvel mais econômico do País. Segundo os dados da entidade, o sedã tem consumo médio de 16,8 km/l na cidade e 16,9 km/l na estrada. A marca é superior às do Lexus CT200h (14,2 km/l em trecho urbano e 15,7 na estrada) e Toyota Prius (14,3 km/l na cidade e 15,7 km/l em percurso rodoviário), os outros dois modelos híbridos disponíveis no mercado na faixa de preços do Fusion.

De acordo com Oswaldo Ramos, gerente de marketing da Ford, “o Fusion Hybrid fica posicionado entre o Prius (R$ 120.830) e o Lexus CT200h (R$ 149 mil) no segmento de híbridos, mas oferece um pacote de equipamentos bem superior e motor mais potente. Apesar de o preço do nosso carro estar mais próximo ao do Toyota Prius, nos recusamos a compará-lo com um carro que sai de fábrica com calotas e bancos em tecido”, concluiu o executivo.

“Corações” a combustão e elétrico

O Fusion Hybrid leva sob o capô um motor de 2.0 litros de 16 válvulas Duratec (igual ao do Focus) a gasolina de 145 cavalos de potência que funciona em ciclo Atkinson, em vez do Otto, com regime de admissão mais eficiente, que trabalha em conjunto com um propulsor elétrico de 88 kW. Trabalhando em conjunto, os motores entregam 190 cv.

Para alimentar o motor movido a energia elétrica, a Ford desenvolveu uma bateria de íons de lítio, menor e 23 quilos mais leve que a do Fusion Hybrid da geração anterior que levava níquel em sua composição. Com as inovações, o sedã pode rodar a até 100 km/h em modo elétrico (o antecessor ia até 75 km/h) e recupera 95% da carga da bateria por meio do sistema de frenagem regenerativa. A transmissão é do tipo CVT (continuamente variável) e a tração é apenas dianteira.

Volta (bem) rápida

O Carsale avaliou o Fusion Hybrid em um percurso de apenas 15 quilômetros na região de Itu, no interior do estado de São Paulo, com trechos urbano e rodoviário. Logo de cara, o sedã impressiona pelo painel dividido em dois mostradores de LCD e pela tela touch screen do sistema multimídia.

No rápido teste-drive, foi possível dirigir o modelo no modo 100% elétrico dentro de um condomínio e no trânsito de Itu. Exceto pela ausência do ruído do motor a combustão, o Fusion Hybrid se comporta como um carro comum. O torque de 24 kgfm do motor movido a eletricidade dá agilidade ao sedã em qualquer situação. Já em trechos rodoviários, o motorista fica instigado a extrair a potência dos dois motores, que entregam ótimas retomadas conforme a necessidade do motorista.

A suspensão tem o acerto típico dos sedãs norte-americanos, visando o conforto e filtrando com competência as imperfeições do piso, apesar dos pneus de perfil baixo. No geral, o Fusion Hybrid é um carro bem agradável de dirigir, embora as suas dimensões sejam bem generosas (4,87 metros de comprimentos, m de largura e m de altura).

Viagem a convite da Ford.

[wppa type=”slide” album=”11477″][/wppa]