Nona geração do sedã mais tradicional da marca alemã estreia facelift e traz duas motorizações

MB Classe E 2014 chega para manter a liderança

A Mercedes-Benz lançou oficialmente na semana passada a nova gama do Classe E (dividida em cupê, conversível e sedã), que desembarca no País após passar por um facelift e receber algumas modificações técnicas. O modelo mais tradicional da marca alemã – no mercado há 67 anos – será comercializado no Barsil apenas na versão Avantgarde, nas motorizações de quatro cilindros de 2.0 litros turbo de 211 cavalos de potência e 3.5 V6 de 306 cv. A transmissão é a automática de sete velocidades 7G-Tronic Plus. O motor maior será disponibilizado apenas nas variantes E350 Avantgarde sedã e conversível.

A configuração esportiva E63 AMG, equipada com um bloco de 5.5 litros V8 biturbo e tração integral, complementará a gama Classe E apenas a partir de setembro.

O novo visual adotado adotado pela Mercedes-Benz, deixando de lado o conjunto óptico dividido em quatro elementos, é a característica mais marcante do novo Classe E. Agora, o sedã passa a ostentar faróis de desenho mais convencional e lanternas com LEDs integrados. A grade dianteira conta com duas aletas e a estrela símbolo da marca centralizada, aposentando o antigo emblema em formato de mira na ponta do capô.

Na cabine, as novidades ficam por conta do acabamento em alumínio para o E250 e em madeira para o E350, além de um relógio analógico contrastando com a tecnologia embarcada no modelo. O Classe E sai de fábrica com ar-condicionado de duas zonas, direção elétrica, teto-solar, assistente de estacionamento, bancos com regulagem elétrica e memória, faróis adaptativos, sistema start/stop, sistema de navegação, seis airbags, freios com ABS, assistente e distribuidor de frenagem, assistente de partida em rampa, entre outros itens.

A configuração cupê conta ainda com teto-solar panorâmico, enquanto o conversível oferece um sistema de aquecimento para o pescoço nos bancos dianteiros.

Confira os preços da gama Classe E 2014:

E250 Avantgarde – R$ 229.900

E350 Avantgarde – R4 284.900

E250 Avantgarde Coupé – R$ 239.900

E350 Avantgarde Cabriolet – R$ 299.900

Bate-e-volta até a serra

O Carsale avaliou o sedã na versão de entrada E250 Avantgarde em uma viagem de quase 200 quilômetros entre São Paulo e Campos do Jordão (SP). Apesar de o sedã de 4,87 metros de comprimento ser equipado com um motor relativamente pequeno para o seu porte, o modelo mostrou bastante desenvolvura ao encarar as boas estradas do interior paulista. O quatro-cilindros turbo de 211 cv disponibiliza os 35,6 kgfm de torque às rodas traseiras logo aos 1.200 rpm, fazendo a “barca” deslanchar no asfalto liso do trajeto.

A dirigibilidade do carro é perfeita para o motorista que aprecia o conforto. As acelerações e retomadas são “espertas”, mas sem grandes emoções. Graças ao torque máximo atingido em rotação baixíssima, o sedã realiza ultrapassagens e enfrenta trechos de serra sem demonstrar esforço. O bom acerto da suspensão garante um rodar macio e firmeza em curvas. Rodando a 120 km/h, a impressão é a de o carro estar quase parado na estrada.

A Mercedes-Benz diz que o E250 Avantgarde acelera de 0 a 100 km/h em 7,4 segundos e atinge a velocidade máxima de 243 km/h. Já o E350 Avantgarde cumpre a aceleração em 6,3 segundos e atinge a máxima de 250 km/h.

Mercado

Com a meta de vender cerca de 250 unidades (somando as comercializadas desde janeiro) do Classe E até o final do ano, a Mercedes-Benz espera encerrar o mercado como líder do segmento, à frente da arquirrival BMW e seu modelo Série 5. A fabricante diz que “o público do Classe E está mais jovem e ligado às novidades do mercado. É um cliente que financia pouco e usa o carro por cerca de dois anos, no máximo”.

A Mercedes-Benz adianta que o E250 Avantgarde representará a metade das vendas, enquanto o E350 Avantgarde ficará com 30% do total. O restante será dividido entre as versões cupê e conversível.

Viagem a convite da Mercedes-Benz.

[wppa type=”slide” album=”11323″][/wppa]