Terceira geração do hatchback da marca alemã chega a partir de R$ 115 mil com motor de 180 cv e em pouco lembra o antecessor

Novo Audi A3 Sport impressiona pela tecnologia

Apresentada no Salão de Genebra do ano passado, a terceira geração do Audi A3 já é vendida no País, na configuração Sport com carroceria de duas portas, desde o dia 20 de maio. Partindo de R$ 115 mil, o hatch é equipado com um motor de 1.8 litro turbo de 180 cavalos de potência e o câmbio automatizado de dupla embreagem e sete velocidades S Tronic. De acordo com a marca das quatro argolas, o modelo não leva nada do antecessor.

Totalmente renovado, o A3 Sport agora conta com a tecnologia Audi ultra, que consiste na utilização de materiais mais leves e resistentes. A carroceria é produzida com aços de alta resistência e elementos em alumínio, combinando maior rigidez estrutural e baixo peso. A Audi diz que o compacto de 4,23 metros de comprimento, 1,77 m de largura, 1,42 m de altura, 2,60 m de distância entre-eixos e pesa 1.325 quilos, cerca de 100 quilos a menos que a geração anterior. O porta-malas comporta 365 litros.

Sob o capô também há novidades. O A3 deixou de lado a motorização de 2.0 litros de 200 cv para ser equipado com um bloco de 1.8 litro, também turbinado, de 180 cv e 25,4 kgfm de torque (disponíveis entre 1.250 e 5 mil rpm) com inovações para favorecer a economia de combustível e reduzir as emissões. O novo propulsor conta com dois sistemas de injeção eletrônica – indireta multiponto e direta – dotada de oito bicos injetores para garantir eficiência máxima quando o motor estiver trabalhando abaixo de sua capacidade máxima. Já o turbocompressor é dotado de um atuador elétrico para regular a pressão do ar de admissão de maneira mais rápida e precisa. O modelo conta também com sistema Start/Stop, que auxilia na redução do consumo de combustível e das emissões, desligando o motor quando o carro está parado. A unidade de força volta a funcionar ao soltar o pedal do freio.

A transmissão é a já conhecida S Tronic de sete velocidade e dupla embreagem com modo Sport e opção de trocas manuais tanto na alavanca quanto por borboletas atrás do volante.

O A3 Sport sai de fábrica com direção com assistência elétrica, controle de estabilidade, airbags frontais, laterais, de cabeça e para os joelhos motorista, freios com sistema anti-travamento (ABS) e distribuidor de frenagem (EBD), Audi Drive Select (sistema que controla os parâmetros de condução e as respostas do acelerador, direção e câmbio), ar-condicionado automático de duas zonas, computador de bordo com tela colorida no painel de instrumentos, sensores de chuva e luz, ganchos ISOFIX para a instalação de cadeirinhas infantis no banco traseiro, teto-solar panorâmico, sistema de áudio com rádio AM/FM/CD player/SD e Bluetooth, rodas de liga leve de 17 polegadas calçadas em pneus de medidas 225/45 R17, entre outros itens. Entre os opcionais estão pintura metálica ou perolizada e o Multi Midia Interface, sistema de entretenimento com navegador (GPS).

Para a versão vendida no Brasil, a Audi estuda oferecer ainda o controle de cruzeiro adaptativo ACC, assistentes de farol alto, de mudança de faixa e de partida em rampa, reconhecimento de placas de trânsito, câmera de ré, sistema de áudio da marca Bang&Olufsen, freio de estacionamento elétrico, sistema de proteção a pedestres (um dispositivo eleva o capô em caso de atropelamentos a velocidade entre 25 e 55 km/h).

Já a versão com carroceria de quatro portas, a Sportback, chegará ao País na segunda quinzena de junho, segundo informações da Audi divulgadas no final de maio. Ainda sem preços confirmados, a configuração será oferecida também com uma motorização de 1.4 litro TFSI de 122 cv.

Volta rápida e nenhuma saudade do motor maior

O Carsale dirigiu o novo A3 Sport em um teste-drive promovido pela Audi na Rodovia dos Bandeirantes, no estado de São Paulo. Durante o trajeto de cerca de 50 quilômetros foi possível comprovar que o modelo em pouco lembra o seu antecessor.

Mesmo saindo de fábrica com um motor um pouco menor e com 20 cv a menos em relação à geração anterior, o hatch continua esbanjando vigor em acelerações e retomadas. A Audi diz que o modelo acelera de 0 a 100 km/h em 7,2 segundos e atinge a velocidade máxima de 232 km/h. A dirigibilidade, que já era boa, melhorou em função dos novos acertos de suspensão e da carroceria mais rígida. O motorista também se sente mais confortável pelo maior espaço interno. Rodando tanto em retas ou em curvas mais rápidas, o A3 Sport aparenta estar mais sólido e assentado em relação ao solo.

O conjunto mecânico exibe comportamento afinado, graças à entrega de torque máximo em baixas rotações e ao comportamento excepcional do câmbio S Tronic. Trafegando na velocidade de cruzeiro de 120 km/h, o isolamento acústico impressiona pelo silêncio a bordo, que só é interrompido por um ronco mais incorpado do motor ao pisar com mais força no pedal do acelerador para realizar uma ultrapassagem, por exemplo.

A unidade testada era equipada com o controle de cruzeiro adaptativo ACC, que acelera o carro a velocidades de até 200 km/h e mantém uma distância segura do veículo à frente, atuando tanto nas acelerações quanto nas frenagens. Durante o teste, foi possível comprovar a eficiência do sistema. Ao manter o compacto atrás de outro Audi do comboio, o ACC manteve a velocidade do carro compatível com a do que seguia à frente. Ao se aproximar de um pedágio, o controle de cruzeiro reduziu a velocidade do modelo gradualmente e o freou totalmente quando o veículo da frente parou para o motorista realizar o pagamento na cabine.

Apesar da pouca convivência com o novo A3 Sport, foi possível notar que a Audi se esforçou para deixá-lo mais moderno e com um comportamento dinâmico mais refinado que o do modelo anterior. Mesmo ultrapassando a barreira dos R$ 100 mil, o hatch é um forte concorrente no segmento de compactos premium, que conta com os também renovados BMW Série 1, Mercedes-Benz Classe A, além do recém-lançado Volvo V40. Muita gente pode torcer o nariz para o carro da Audi por se tratar de uma versão com carroceria de duas portas, mas para o consumidor que raramente leva alguém no banco traseiro, se importa com tecnologia embarcada, preza por um bom desempenho e tem bala na agulha para assinar o cheque de R$ 115 mil, vale a pena dar uma volta no A3 para sanar todas as dúvidas e ver o que o hatch tem a oferecer.

[wppa type=”slide” album=”11189″][/wppa]