Compacto da montadora chinesa estreia nas carrocerias hatch e sedã, completo, com motor flex e pregando contra os carros “pelados”

Chery Celer chega flex a partir de R$ 35.990

A montadora chinesa Chery apresentou nesta quarta-feira (27) o Celer, o sexto modelo de sua gama a ser vendido no Brasil. Disponível em versão única, o compacto chega às concessionárias da marca custando a partir de R$ 35.990 para a configuração hatch e R$ 36.990 para a carroceria sedã, ambas equipadas com o motor Acteco de 1.5 litro de 16 válvulas flex e câmbio manual de cinco marchas.

Fabricado na cidade de Wuhu, na China, o Celer recebeu mais de 140 modificações (150 no hatch e 147 no sedã) mecânicas e no acabamento para atender às especificações do mercado brasileiro. Sob o slogan “Chega de Carro Pelado”, o modelo sai de fábrica com ar-condicionado, direção hidráulica, airbags frontais, freios com sistema antitravamento (ABS) e distribuidor de frenagem (EBD), vidros, travas, retrovisores e abertura da tampa do porta-malas com acionamento elétrico, rádio AM/FM com CD player, MP3 e entrada USB, rodas de liga leve de 15 polegadas calçadas em pneus de medidas 185/60, chave canivete, entre outros itens.

O Celer hatch mede 4.13 metros de comprimento, 1.49 m de altura, 1.68 de largura e tem 2.52 m de distância entre-eixos. O porta-malas tem 380 litros de capacidade. Já a versão sedã cresce 7 centímetros no comprimento e leva 450 litros no compartimento de bagagem.

O conjunto motriz que carrega o modelo é um bloco de 1.5 litro 16V de 108 cavalos de potência e 14 kgfm de torque a 3 mil rpm. A Chery não informa com qual combustível essa potência foi aferida, mas se contradiz ao dizer que o motor desenvolve cerca de 112 cv quando abastecido com etanol.

A meta da Chery é emplacar 7 mil unidades do Celer – sendo 75% do hatch e 25% do sedã – ainda em 2013, enquanto a sua fábrica em Jacareí (SP) não é concluída. A previsão da montadora é de começar a produzir o modelo na cidade paulista a partir do primeiro trimestre do ano que vem. A unidade recebeu um investimento de US$ 400 milhões (cerca de R$ 805 milhões), empregará cerca de 2.500 funcionários e fabricará 50 mil carros por ano na fase inicial. Posteriormente, a capacidade aumentará para 150 mil veículos.

O Celer chega para brigar com concorrentes de marcas já consolidadas no País e com produtos que já ganharam a confiança do consumidor brasileiro. Rivalizar com modelos como Chevrolet Onix, Hyundai HB20, Toyota Etios e até mesmo o Volkswagen Gol será uma tarefa árdua. Além de correr o risco de uma alta nos preços por conta do aumento do IPI e de oscilações cambiais, o carro da Chery ainda sofre com a desconfiança do mercado local com a qualidade dos produtos chineses.

Viagem a convite da Chery do Brasil.
 

[wppa type=”slide” album=”10797″][/wppa]