Novo sedã compacto da Chevrolet herdou apenas o nome do modelo derivado do Celta e chega para brigar com o HB20 sedã; preços começam em R$ 34.990

Prisma ressuscita nome com qualidades do Onix

A General Motors do Brasil apresentou na última terça-feira (26), em Joinville (SC), a nova geração do Prisma. Agora derivado do hatch Onix, o sedã compartilha a nova plataforma global com Cobalt, Sonic e Spin. Do modelo originado do Celta restou apenas o nome, “mantido graça ao sucesso do modelo antigo, que vendeu 325 mil unidades em seis anos”, segundo a montadora.

Com a meta de vender cerca de 6 mil unidades por mês, a Chevrolet oferece o Prisma em três versões de acabamento: LT 1.0 (R$ 34.990), LT 1.4 (39.090) e LTZ 1.4 (R$ 45.990). A garantia de fábrica é de três anos. A companhia diz ainda que o modelo é uma “alternativa aos consumidores modernos que buscam um sedã com visual mais jovem e diferenciado, para fugir do tradicional (leia-se Classic e Cobalt)”. De acordo com a montadora, o Prisma terá o Hyundai HB20 sedã – com lançamento marcado para o dia 3 de março – como o seu rival principal.

Fabricado em Gravataí (RS), o Prisma deixa no passado alguns pecados da antiga geração, como o acabamento empobrecido e a posição de dirigir prejudicada pela direção deslocada para a direita. O sedã traz materiais com qualidade superior e exibe as qualidades dinâmicas do Onix.

A carroceria chama a atenção pelo teto rebaixado na traseira, lembrando um pequeno cupê de quatro portas. A tampa do porta-malas de 500 litros de capacidade é ornamentada por um brake-light semelhante ao do extinto Corsa sedã. Do lado de dentro, a cabine tem acabamento adequado, com plásticos e tecidos de boa qualidade. O destaque fica por conta da peça central do painel na cor marrom.

Equipado com airbags frontais, freios com ABS e EBD, direção hidráulica, volante com regulagem de altura, vidros dianteiros e travas com acionamento elétrico, alarme, chave canivete, banco do motorista com regulagem de altura e sensor de estacionamento desde a versão de entrada, o Prisma traz de série o sistema de conectividade MyLink – com câmera de ré – na versão topo de linha LTZ.

Versão 1.0 sente o peso do porta-malas maior

O Carsale iniciou o teste-drive do modelo com uma unidade da versão LT equipada com o bloco SPE/4 de 1.0 litro flex, que desenvolve 78/80 cavalos de potência e 9,5/9,8 kgfm de torque (gasolina/etanol). No percurso entre Curitiba (PR) e Joinville (SC), com três ocupantes a bordo e ar-condicionado ligado, o Prisma mostrou que este propulsor não é o mais indicado a quem pretende rodar com o carro carregado em longas viagens. O sedã negou fôlego em ultrapassagens e trechos de subida, sempre exigindo constantes reduções de marchas. Como no Onix, os destaques ficam por conta do câmbio preciso e bem escalonado e pela suspensão bem acertada.

A volta para a capital paranaense foi com um carro na configuração topo de linha LTZ, dotada apenas do motor de 1.4 litro de 98/105 cv e 13,9 kgfm de torque (gasolina/etanol). Com esta unidade de força o Prisma deslanchou com desenvoltura pelas boas rodovias dos estados de Santa Catarina e Paraná. Exigindo poucas reduções de marchas em subidas, o modelo encarou a viagem – também com motorista e dois passageiros, mais bagagem – sem passar sufoco como a versão 1.0.

O lançamento da Chevrolet tem como pontos fortes a dirigibilidade e o espaço interno, generoso para um automóvel desta categoria. No entanto, o consumidor que está à procura de um sedã compacto deve esperar a chegada da versão três-volumes do Hyundai HB20 para sanar todas as suas dúvidas antes de assinar o cheque, uma vez que a General Motors coloca o rival da marca sul-coreana como o principal concorrente do Prisma. Independentemente da escolha, o Prisma deverá repetir o bom desempenho do Onix no mercado, uma vez que chega com um bom pacote de equipamentos e as mesmas qualidades do hatch. E, de acordo com a GM, os dois modelos ficarão mais competitivos com a chegada das versões equipadas com câmbio automático de seis marchas.

Confira as versões e equipamentos do Chevrolet Prisma:

LT 1.0 (R$ 34.990): airbag duplo frontal, freios com ABS e EBD, sensor de estacionamento traseiro, ar quente, desembaçador do vidro traseiro, rodas de aço de 14 polegadas com calotas integrais, protetor de cárter, banco do motorista com regulagem de altura, direção hidráulica, volante com regulagem de altura, vidros dianteiros, travas das portas e da tampa do porta-malas com acionamento elétrico, chave canivete e alarme. Com ar-condicionado, o preço sobe para R$ 37.190.

LT 1.4 (39.090): o mesmo pacote da versão 1.0 mais rodas de aço de 15 polegadas, faróis com máscara negra, lanternas escurecidas, adesivo preto na coluna B. Com ar-condicionado: R$ 41.090.

LTZ 1.4 (R$ 45.990): mesmos itens da LT 1.4, acrescido de rodas de liga leve de 15 polegadas, vidros traseiros elétricos, ar-condicionado, MyLink, faróis de neblina, espelhos retrovisores com regulagem elétrica e computador de bordo.

Viagem feita a convite da General Motors do Brasil

[wppa type=”slide” album=”10645″][/wppa]