Sedã médio da Honda passa a contar com motor de 2.0 litros flex de 155 cavalos de potência para ficar mais competitivo frente a concorrência

Civic ganha fôlego extra para assumir a liderança

A Honda Motors do Brasil lançou nesta quinta-feira (31) a linha 2014 do Civic, que chega com alterações “para assumir a liderança do segmento”, como a própria montadora afirma. O principal trunfo para tomar as vendas do arquirrival Toyota Corolla é o novo motor de 2.0 litros, dotado da tecnologia Flex One, que elimina o tanquinho de gasolina para a partida a frio.

O sedã chega às concessionárias da marca em fevereiro, como modelo 2014, em três versões: LXS, LXR e EXR. A primeira tem preço inicial de R$ 66.690 e mantém o bloco de 1.8 litro flex de 139/140 cavalos de potência (gasolina/etanol), acoplado a um novo câmbio manual de seis marchas. Com a transmissão automática de cinco velocidades o valor sobe para R$ 69.990.

As configurações intermediária e topo de linha do Civic são equipadas apenas com o propulsor de 2.0 litros Flex One, que desenvolve 150/155 cv e 19,3/19,5 kgfm de torque (g/e) a 4.500 rpm, e câmbio automático com borboletas atrás do volante para trocas manuais. A LXR custa a partir de R$ 74.290, enquanto a EXR sai por R$ 83.890.

Por fora, o Civic não teve alterações significativas, a não ser pela adoção de faróis de neblina de série na versão LXR e pelo emblema na tampa traseira que indica a nova motorização. A variante topo de linha diferencia-se das demais pelas maçanetas cromadas, pelo teto-solar e pelas rodas de 16 polegadas com acabamento diamantado. A chave do carro passa a ser do tipo canivete.

p>

Do lado de dentro, as novidades são o sistema de áudio com Bluetooth (em todas as versões) com microfone independente e forração na parte interna da tampa do porta-malas. A versão EXR (foto acima) conta ainda com uma tela de sete polegadas para o sistema multimídia, dotado de rádio com CD player, entradas auxiliar e USB e câmera de ré. No quesito segurança, o Civic é equipado com airbags frontais e freios com ABS e EBD. A configuração topo de linha conta ainda com bolsas infláveis laterais e controles de estabilidade e de assistência da direção.

Tecnologia Flex One

O motor de 2.0 litros carrega o novo conceito da marca, priorizando a eficiência. As modificações na unidade de força visam menores emissões e consumo próximo ao do bloco de 1.8 litro. Para eliminar a necessidade de ter o reservatório de gasolina para partida a frio, a Honda adotou um sistema que aquece o combustível antes mesmo de dar a partida. O dispositivo entra em ação a partir do momento em que as portas são destravadas pelo controle da chave. O recurso será estendido também ao monovolume Fit, ao sedã City e ao crossover CR-V.

O Civic continua sendo um carro agradável de dirigir, com boa ergonomia e suspensão bem acertada para o porte e a proposta do carro. O Carsale testou por cerca de 50 quilômetros uma unidade da versão intermediária EXR e constatou a boa desenvoltura do motor de 2.0 litros.

Durante o percurso em rodovias da região de Campinas (SP), com três pessoas a bordo e ar-condicionado ligado, foi possível notar o ganho de potência em relação ao bloco de 1.8 litro. O carro embala com facilidade, mas suas retomadas de velocidade ficam um pouco limitadas pelo câmbio automático de cinco velocidades, que parece não “acompanhar” o fôlego do motor. Para realizar mudanças mais rápidas, o ideal é utilizar o modo manual.

Rodando a 120 km/h, com etanol no tanque, o computador de bordo registrou um consumo médio de 10,4 km/l. Apesar do silêncio do motor a três mil rpm, o barulho dos pneus em atrito com o solo incomoda os ocupantes, ainda mais quando se trata de um carro de mais de R$ 70 mil.

Só o tempo poderá dizer se o Civic será líder no segmento de sedãs médios, uma vez que a Toyota já prepara o lançamento da nova geração do Corolla para o ano que vem. Independentemente da posição que o modelo ocupará no ranking de vendas, a Honda acertou ao adotar este novo motor, que casou bem com o carro, oferecendo desempenho superior ao do 1.8 e bastante satisfatório para a proposta do carro.

Viagem a convite da Honda.

[wppa type=”slide” album=”10503″][/wppa]