Combinando referências da primeira geração com as últimas tecnologias, sucessor do New Beetle tem motor 2.0 de 200 cv e chega a partir de R$ 76.600

Primeiras impressões: Volkswagen Fusca

O VW Fusca está voltando. Mais potente e equipado do que nunca, a terceira geração do mais simbólico e carismático automóvel do mercado nacional retorna inteiramente remodelada, mas mantendo o perfil original do modelo e resgatando o nome que o consagrou entre os brasileiros durante cinco décadas.

Apresentado ao público durante o Salão do Automóvel de São Paulo, em outubro, o novo Volkswagen Fusca está chegando às concessionárias, um ano após de o New Beetle (a segunda geração do “besouro”, em inglês, lançada em 1998) deixar de ser importado oficialmente.

Em sua estratégia mundial para o novo modelo, a marca decidiu adotar a nomenclatura local do carro em cada mercado, reintroduzindo o Coccinelle na França, o Maggiolino na Itália, e o Fusca, por aqui; nos países de língua inglesa, ele continua como Beetle.

Popular de batismo, o Fusca 2013, entretanto, a exemplo do New Beetle, não é o que se pode chamar novamente de carro do povo: equipado com motor 2.0 TSI, de 200 cavalos de potência, tem preços sugeridos R$ 76.600, com câmbio manual, e de R$ 80.990, com transmissão automática.

Moderno e retrô

O novo Fusca retoma diversas referências de estilo fundamentais do carro original – como os para-lamas salientes, o desenho das lanternas, a forma do capô, os estribos laterais – especialmente nas linhas quase idênticas na parte traseira.

Por outro lado, traz também inovações tecnológicas. Um bom exemplo é que, mesmo sendo o único Volkswagen em produção com faróis redondos (com lâmpadas de descarga sem mercúrio com 25 Watts, de série), o novo Fusca oferece, pela primeira vez, a opção de bi-xenônio, que inclui luzes diurnas com 15 LEDs de cada lado, posicionados nas bordas externas das lentes. Os faróis de neblina, com luzes de curva estáticas, também são de fábrica. As lanternas traseiras, integradas aos para-lamas, têm a cor vermelha escura, exceto nas áreas brancas do indicador de direção e da luz de ré.

O modelo sai de fábrica com rodas de aro 17” (com opção de 18”), pneus 215/55, e pode ser adquirido em cinco cores sólidas (Branco Cristal, Preto Ninja, Amarelo Saturno, Vermelho Tornado e Azul Denim), cinco metálicas (Azul Reef, Marrom Toffee, Cinza Platinum, Prata Sargas e Prata Moon Rock) e uma perolizada (Preto Mystic).

Em comparação com o New Beetle, o Fusca 2013 também acomoda até quatro pessoas, mas é mais espichado e largo, tem perfil mais baixo, para-brisa recuado e capô dianteiro alongado. No comprimento (4.278 mm), o novo carro tem 152 mm a mais e, na largura (1.808 mm), é 84 mm maior.

Essa encorpada permitiu que o teto fosse estendido e rebaixado em 12 mm (ficando com 1.486 mm), o que resultou em um melhor desenho aerodinâmico e economia de combustível. Apesar disso, no banco traseiro a distância até o teto é 10 mm maior do que a do modelo anterior, enquanto o espaço para as pernas cresceu junto com a distância entreeixos (2.537 mm), aumentada em 22 mm. Os ocupantes também desfrutam de maior amplitude lateral, com 1.459 mm, na frente, e 1.308 mm, atrás.

Igualmente ao New Beetle, onde o Fusca original tinha o motor, agora fica a tampa do porta-malas, que se abre juntamente com o vidro. Nela, foi instalado um defletor do fluxo de ar, cuja função é ajudar na estabilidade do modelo. O item se integra harmoniosamente ao design, ao combinar a superfície superior preta com a parte de baixo na cor da carroceria.

O compartimento de bagagens agora oferece 310 litros de capacidade (96 litros a mais do que o anterior), ou até 905 litros com o banco traseiro rebatido. Práticos ganchos nas laterais ajudam a acomodar pequenos e grandes objetos, enquanto sob o assoalho encontra-se o estepe, acessível apenas pelo interior do veículo.

Inspiração original

Por dentro, o Novo Fusca também combina o estilo da primeira geração com soluções sofisticadas de acabamento. De série, conta com bancos revestidos de couro preto (com opção de combinações bicolores e de dianteiros esportivos, com apoio lombar); painel com aparência de fibra de carbono; volante de três raios (com ajuste de altura e de distância), alavancas do freio de mão e do câmbio com acabamento de couro; soleiras das portas e pedaleiras com acabamento de alumínio, moldura cromada nos controles do ar-condicionado, painéis das portas e detalhes no volante pintados na cor preta, entre outros itens.

Outro detalhe que garante charme ao besouro é a iluminação ambiente, com luzes indiretas nos painéis das portas e diretas ao redor dos alto-falantes, que podem ser ajustadas nas cores vermelho, branco ou azul. Já o painel com formato inspirado no desenho dos modelos iniciais incorpora, ao centro, a tela digital sensível ao toque, com as saídas de ar nas laterais. Logo abaixo, ficam os comandos do ar-condicionado, interruptor do pisca-alerta e a alavanca de câmbio; à frente do acompanhante está o porta-luvas, com a tradicional tampa que se abre para cima, e um novo, para baixo.

O novo Fusca também oferece, como opcional, um grupo de instrumentos auxiliares, composto por temperatura de óleo, relógio com cronômetro e medidor de pressão do turbo, posicionados na parte central do alto do painel. O quadro de instrumentos exibe três mostradores redondos (conta-giros, velocímetro e indicador do nível do tanque), e um display multifuncional, com informações dos sistemas de áudio e de navegação.

Além da direção com assistência Servotronic, a lista de equipamentos de série inclui rádio com CD e oito alto-falantes; computador de bordo; vidros dianteiros elétricos; piloto automático, entre outros. Na lista de opcionais estão ar-condicionado digital Climatronic, com duas zonas de resfriamento; retrovisor interno eletrocrômico; sensor de chuva; teto solar panorâmico elétrico; sistema de som da marca Fender, com dez canais e entrada USB; e sistema de abertura, travamento e ignição sem chave (Kessy).

Super Fusca

Equipado com o motor 2.0 TSI, o modelo 2013 é o Fusca de linha mais potente de todos os tempos. Dotado de injeção direta de gasolina, o propulsor oferece a potência máxima de 200 cv a partir de 5.100 rpm, e pico de torque de 28,5 kgfm desde os 1.700 rpm. A transmissão pode ser manual, de seis velocidades, ou automática DSG, de dupla embreagem, também com seis marchas, que permite trocas manuais por meio de borboletas atrás do volante.

Com peso total de 1.364 kg, o Fusca 2.0 TSI atinge a velocidade máxima de 233 km/h (controlada eletronicamente) e acelera de zero a 100 km/h em 7,5 segundos, segundo a marca alemã. O tanque de combustível tem capacidade para 55 litros. A suspensão dianteira do novo Fusca mantém o sistema MacPherson, com molas helicoidais e amortecedores telescópicos, enquanto na traseira foi adotada uma nova solução mais leve, do tipo four-link, com barra antirrolamento.

Em matéria de segurança, o modelo sai de fábrica equipado com controle de estabilização eletrônica (ESC)  e conjunto de airbags frontais e laterais. O sistema de freios conta com discos nas quatro rodas, ABS (antibloqueio), ASR (auxílio de frenagem), ESC (distribuição eletrônica da pressão). Também de série, o hatch traz bloqueio eletrônico do diferencial XDS, que melhora a dirigibilidade em curvas rápidas e faz o carro comportar-se de forma mais segura, acionando os freios seletivamente para evitar que a roda interna deslize em falso na curva. Sensores de estacionamento (dianteiro e traseiro) com indicação na tela, sistema de alarme anti-furto, travamento central com controle remoto e o assistente de subida complementam a lista.

Em um rápido test-drive realizado no trânsito da cidade de Campinas (São Paulo), o novo Fusca surpreendeu pela rapidez nas acelerações e estabilidade em curvas, lembrando, de certa forma, o comportamento de um kart. Os freios também se mostraram bastante eficientes. Outro ponto interessante foi a facilidade do simpático carrinho em chamar a atenção por onde quer que passe.

[wppa type=”slide” album=”10254″][/wppa]