SUV da Volkswagen com apelos esportivos oferece exclusividade, mas cobra no preço

Versão R-Line do Touareg chega por R$ 333.700

Quando está presente em algum carro da Volkswagen, o logotipo R-Line é indicativo de uma versão com itens estéticos que buscam dar apelo esportivo a um determinado modelo. Não é diferente no caso do jipão Touareg, que acaba de ganhar no Brasil uma versão com essa insígnia. Equipada somente com o motor V8 de 360 cavalos de potência e 45,4 kgfm de torque, essa versão tem preço inicial de R$ 333.700.

Além do visual, que conta com novas saias laterais, para-choques, aerofólio, barras longitudinais prateadas no teto, ponteiras de escapamento cromadas, frisos cromados na grade dianteira e nas molduras das janelas, spoiler frontal, soleiras com logotipo R-Line, pedaleiras exclusivas, insertos de alumínio no painel, portas e no console central, e pneus 275/45 R20, com rodas de desenho exclusivo, o carro também embarca o sistema de câmeras externas “Area View”, que monitoram as redondezas do carro, e também um sistema de som de alta fidelidade da marca Dynaudio.

Fora essas novidades, trata-se do mesmo Touareg V8 à venda no mercado brasileiro. A VW espera vender 50 unidades dessa versão ao ano, número que, segundo a montadora, equivale a 10% do total de vendas do modelo no mercado brasileiro.

O conhecido Touareg

Os adendos exclusivos da versão R-Line fizeram bem ao visual do Touareg. Há um claro apelo esportivo no exterior do carro, sem parecer exagerado ou brega. Acaba sendo uma espécie de “tuning do bem”: a presença de cromados é comedida e o desenho exclusivo das rodas é um dos principais destaques no exterior. A discrição fica ainda maior no interior, que já era bem acabado na versão V8 comum e nessa não perdeu essa característica, tendo apenas novidades pontuais.

Ademais, o Touareg continua sendo uma verdadeira sala de estar sobre rodas. Confortável e espaçoso, ele mantém seus ocupantes isolados do mundo exterior, seja no aspecto sonoro, pelo bom isolamento acústico, ou nas sensações físicas. Nesse último caso, destaque para a suspensão pneumática, que possui diferentes calibragens de altura e tornam o SUV capaz de encarar de uma estrada esburacada a uma sequência de curvas com eficiência.

Gigante veloz

Dirigir o Touareg em uma estrada faz o motorista esquecer momentaneamente que está no comando de um carro de 2.075 kg e 4,79 metros de comprimento. O mérito disso é do motor V8 FSI, capaz de empurrar o carro sem qualquer dificuldade. Prova disso são os 6,5 segundos necessários para ir de 0 a 100 km/h, número digno de carros esportivos. O câmbio automático de oito marchas tem papel determinante nesse desempenho, com trocas rápidas o suficiente para rivalizar com caixas automatizadas de dupla embreagem. O desempenho em curvas não deixa a desejar, graças ao bom acerto da suspensão, que não inclina demais a carroceria, e à tração integral permanente. Convém, entretanto, não abusar, dado o porte do veículo.

Na cidade, por sua vez, o tamanho do Touareg passa a ser um incômodo. Alto (1,70 m) e largo (2,20 m), ele torna qualquer mudança de faixa uma aventura incerta. A impressão que se tem é a de que, em algum momento, um motociclista será derrubado ou um carro será atropelado. Encontrar vagas em um shopping ou supermercado também tende a ser uma tarefa árdua, não pela dificuldade em se manobrar o carro (as câmeras do Area View e de ré ajudam bastante nesse quesito), mas sim pelo quão raras são as vagas nas quais é possível estacionar o Touareg e conseguir, por exemplo, abrir as portas.

A solução para o “problema urbano” que diz respeito às mudanças de faixa está no Side Assist. Infelizmente esse acessório, que monitora os pontos cegos do veículo e avisa o condutor por meio de luzes na base dos espelhos retrovisores, é vendido como opcional. Caso idêntico ao do ACC (Adaptive Cruise Control), que controla a velocidade do carro e também permite ao motorista determinar a distância que o Touareg mantém do veículo à frente, e do teto solar panorâmico elétrico. No caso dos dois primeiros itens, é uma pena que a VW não os ofereça como itens de série no Touareg R-Line, fato que agregaria bastante valor ao carro.

A dúvida que paira sobre o Touareg R-Line é: vale a pena pagar R$ 25.511 a mais do que os já altos R$ 308.189 da versão V8 normal? Em uma opinião bastante pessoal e racional, a resposta é não. Com o valor extra, seria possível equipar o Touareg V8 com itens importantes, como o ACC e o Side Assist, inegavelmente mais importantes do que adornos na carroceria. Entretanto, dá para considerar o Touareg R-Line uma compra emocional e colocar em xeque a importância dos 8,2% a mais cobrados pela versão para quem está prestes a comprar um carro de mais de R$ 300 mil. E, nessa faixa de preço, argumentos racionais tendem a ser totalmente ignorados.