Segundo fontes ligadas à marca, preço da nova geração deverá partir dos R$ 60.000. Modelo terá também versões com câmbio automático e tração 4×4

Ford começa a produzir o novo EcoSport global

Carsale, de Salvador (Bahia) – Como não é novidade, a Ford apresentou no último domingo, durante um show no Farol da Barra, em Salvador, a versão final do novo EcoSport. De acordo com a montadora, o evento comemorou “o encerramento de um trabalho de 3 anos e o início de produção de um novo carro global. Durante uma visita especial da imprensa especializada às instalações da montadora baiana, os executivos mostraram componentes da carroceria e peças da estamparia estocadas, prontas para a montagem.

Segundo um deles, as primeiras unidades da nova geração do utilitário esportivo da marca começam a ser montadas nas próximas semanas. “Esse é um dos primeiros processos da produção. Armazenamos as peças de estamparia, nos preparando para o ingresso na linha de montagem do carro. Sendo assim, já podemos afirmar que começamos efetivamente a produzir o novo EcoSport”, garantiu um dos monitores durante a visita na Bahia.

Outra novidade, que surgiu nesta quarta-feira (25), é a faixa de preço das versões de entrada. De acordo com uma fonte ligada à montadora, diferentemente do que foi publicado por alguns sites, o valor inicial do novo modelo ficará entre R$ 60.000 e R$ 65.000. “Atualmente trabalhamos nesta margem de valor”, garantiu um executivo.

Mais detalhes do EcoSport global

Durante o lançamento, tivemos acesso a uma unidade final do EcoSport na versão topo de linha, a Titanium 2.0 16V Duratec de 143 cavalos de potência, o mesmo que equipa o modelo atual – a outra opção é o 1.6 16V Sigma, oferecida no New Fiesta. Não houve a oportunidade de realizar um test-drive, mas pelo rápido contato tiramos algumas impressões. A primeira e exclusiva é a confirmação da chegada das futuras versões com câmbio automático e com tração 4×4. Apesar da falta de nitidez da foto acima, um painel no Centro de Design da Ford em Camaçari, mostra o tipo de transmissão (semelhante à da linha Focus, portanto com quatro marchas) com opção “L” (marcha de força, mais reduzida) e um quadro de instrumentos com uma luz de alerta indicando um símbolo do tracionamento integral ativado.

Externamente, o EcoSport traz linhas agudas e modernas. Há luzes de iluminação diurna de LED nos faróis, algo que combina com a grande e robusta grade dianteira, com moldura cromada. Nos retrovisores há luzes do pisca integrados e a maçaneta para a abertura do porta-malas é, curiosamente, integrada à lanterna traseira (foto abaixo). Sendo assim, haverá apenas uns espaços para as luzes de ré. As rodas, com aros de 16 polegadas, são cromadas e possuem um desenho bem assimétrico.

Internamente, o painel é composto por duas cores: na parte superior há o preto e na parte inferior um cinza claro, puxado para o bege (provavelmente, para adequar o interior aos mercados asiáticos, como o chinês e indiano). O design deste componente lembra muito o do New Fiesta, porém com materiais mais simples. No caso dos modelos importados do México, há cobertura em “soft touch” (de toque suave), algo que não está presente no EcoSport. Os tecidos dos bancos são de boa qualidade, assim como o encaixe das peças em plástico.

Entre os equipamentos de série (a princípio nesta versão topo de linha) figuram ar-condicionado digital, computador de bordo, quatro airbags (duplo frontal e de cortina), sensores de chuva e de estacionamento, trio elétrico, direção elétrica, regulagem manual de altura e profundidade do volante e do banco do motorista, sistema multimidia Microsoft Sync, com conexão Bluetooth, USB, MP3 e iPod, bancos bipartidos, entre outros.

O conforto interno é bom, seguindo a receita da atual geração do EcoSport. As impressões são de um veículo de porte mais alto, mas que transporta apenas quatro adultos (o quinto tem que ser uma criança). O porta-malas, apesar de não ter dados oficiais, pareceu ser menor que o do atual jipinho.

Conversando com um dos engenheiros responsáveis pelo desenvolvimento do novo produto, há em estudo a possibilidade de oferecer o teto solar como acessório. Algo que ainda demanda testes, segundo o executivo. Vale ressaltar que ainda não sabemos quais desses equipamentos citados acima serão de série ou quais serão vendidos como opcionais, já que ainda não há um catálogo oficial de versões.

O histórico do modelo

Desde a primeira notícia divulgada sobre o novo SUV compacto, a Ford nunca escondeu a importância do produto para as pretensões da marca no Brasil e em outros países emergentes, como Índia e China. Tanto é que ele é tratado como o novo modelo global da empresa e principal motivador para manter a quarta colocação em vendas, dentro do mercado nacional (nos últimos meses, por conta do lançamento de vários produtos que optam pelo custo-benefício, a Renault vem ameaçando a posição da norte-americana).

Sendo assim, como cronograma oficial de lançamento, há a promessa de cinco eventos até a aparição completa de todas as versões que envolvem a novidade. O primeiro acontecimento foi no final de 2011, com uma visita monitorada ao Campo de Provas da cidade de Tatuí (SP), local importante para o desenvolvimento do carro. Nos primeiros dias de 2012, a primeira apresentação oficial do protótipo do carro, em Brasília (DF), com direito a presença de políticos e ministros ligados ao Governo Federal. De forma simultânea, um conceito da versão final do SUV compacto, também era mostrado no Salão de Nova Delhi, na Índia.

Neste último final de semana aconteceu o terceiro evento envolvendo o novo EcoSport: a apresentação oficial da versão topo de linha, a Titanium com motor 2.0. Onde também de forma simultânea ocorreu a apresentação do carro durante o Salão de Pequim, na China.

De acordo com fontes internas da Ford, haverá ainda mais dois eventos. Um deles é o lançamento oficial do produto para a imprensa, em meados de junho ou julho. E o último, há grande chance de ser uma versão diferenciada, a de entrada com novo motor 1.0 EcoBoost que pode gerar até 170 cv. Esta última, algo que poderá mexer bastante com o segmento de SUV compactos no Brasil.

O jornalista viajou a convite da Ford.

[wppa type=”slide” album=”9290″][/wppa]