Sedã compacto recebe primeira atualização em busca de manter a liderança do segmento

Honda City 2013 chega a partir de R$ 53.620

Carsale – Dando continuidade a uma renovação completa de sua gama de produtos oferecidos no Brasil, a Honda apresentou a linha 2013 do City. Com poucas mudanças, basicamente estéticas, o sedã compacto quer se manter na liderança do segmento, onde vem reinando desde o seu lançamento, em 2009.

De acordo com dados da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave), o City emplacou 24.637 unidades em 2011. Com quase 5.000 carros abaixo, está o Peugeot 207 Passion, com 19.045 unidades. Na terceira colocação, vem o Ford Fiesta sedã (aqui se inclui números do New Fiesta e também do Fiesta Rocam) com 13.074 veículos. Números que representam a importância do modelo para os planos da Honda no país.

Sendo assim, junto com uma pequena reformulada no design, a montadora japonesa também alterou a gama de versões e  cortou os preços do City.  Antes eram oito opções, agora transformadas em apenas quatro:

City 2013 DX 1.5 16V Flex Manual (M/T): R$ 53.620

City 2013 LX 1.5 16V Flex Manual (M/T): R$ 58.990

City 2013 LX 1.5 16V Flex Automático (A/T): R$ 62.190

City 2013 EX 1.5 16V Flex Automático (A/T): R$ 66.855

Mudanças por fora

A essência do Honda City permanece a mesma. Sob o capô, em todas as versões, o motor é o 1.5 i-VTEC Flex de 115 cavalos de potência, que pode vir acoplado ao câmbio manual ou automático. Já na parte estética, mudaram os desenhos dos para-choques dianteiro e traseiro, que segundo a Honda ganharam formas mais lineares e esportivas. A grade dianteira recebeu uma pintura cromada em todas as versões e as lanternas traseiras agora estão com faixas brancas nos piscas laterais e da ré. No interior, pouca coisa nova. Apenas o quadro de instrumentos passa a ter uma iluminação azul (na linha 2012 era laranja).

Na lista de equipamentos, a grande novidade está na versão LX com câmbio automático, que passou a ter hastes atrás do volante para troca de marchas. De resto, tudo segue como antes: direção elétrica de série, ar-condicionado, vidros e travas elétricas, rodas de liga leve (15" nas versões DX e LX e 16" na EX), regulagem de altura manual dos bancos, entre outros.

Primeiras impressões

Durante o lançamento, tivemos um contato rápido com o Honda City 2013. As mudanças não foram suficientes para mudar o perfil ou o estilo do carro, sendo assim, deverá atingir o mesmo perfil de cliente da linha anterior. A nova iluminação azul deixou o modelo mais moderno, o que o aproxima um pouco mais com seu irmão maior, o Civic.

Na dirigibilidade a mesma receita. Apesar de ser um sedã compacto, o City oferece um bom conforto aos passageiros e um razoável status pelo seu porte. Os 115 cavalos do motor 1.5  responde bem tanto na estrada quanto na cidade, mesmo em situações de ultrapassagem e retomadas. Porém, é preciso se acostumar com o giro em velocidades mais altas (4.000 rpm a 120 km/h), mas nada que comprometa seu desempenho, ou que ofereça um ruído incomodo para quem está na cabine.

O grande problema da linha 2012 era a versão top de linha, que estava na faixa dos R$ 72.000. Com a atualização das versões, o City mais bem equipado não perde tantos clientes para o Civic e continua sendo como uma boa opção para quem está começando a se aventurar na terra dos sedãs maiores.

[wppa type=”slide” album=”9264″][/wppa]