Compacto está confirmado para o Salão do Automóvel de SP de 2010

Audi A1

A Audi não aguentou esperar até o Salão de Genebra, que acontece entre 4 e 14 de março, na Suíça, para mostrar o novo compacto A1. Desde janeiro, os alemães vinham mostrando detalhes da carroceria do modelo, mas sem revelar o carro por inteiro. O A1 usa a mesma plataforma do Volkswagen Polo europeu e promete concorrer forte com o britânico MINI Cooper, hoje montado pela BMW. O compacto da Audi será produzido em Bruxelas, na Bélgica. Foram investidos cerca de 100 milhões de euros para modernizar a fábrica para a produção do hatch. Confirmado antecipadamente como uma das atrações do Salão Internacional do Automóvel de São Paulo, em outubro, o A1 chega às concessionárias da Audi no Brasil no começo de 2011. A marca alemã ainda não divulgou o preço do modelo na Europa. Limitou-se a dizer que a versão de entrada do A1 vai custar cerca de 16 mil euros (aproximadamente R$ 40 mil). Como referência, o preço o MINI One, a versão básica do Cooper na Europa é de 15.300 euros (R$ 39 mil).

O A1 é, segundo a marca, destinado aos motoristas com espírito jovem que moram em ambientes urbanos. O apelo principal está no design sofisticado. A linha de cintura tem forma de cunha, começando nos faróis e terminando na junção do teto, em forma de arco, com a traseira. O modelo mantém a fórmula característica da Audi de dividir a proporção lateral de seus carros em 1/3 de área envidraçada e 2/3 de carroceria. Com isso, até o modelo de entrada conserva a silhueta esportiva dos irmãos maiores. Os vincos nas laterais dão efeito de aceleração ao carrinho, além de combinar luminosidade e sombra de forma simples e elegante. As colunas do carro formam um arco com a sustentação do teto. Essa peça pode ser pintada de quatro cores contrastantes para se destacar do restante do A1. O caimento do teto culminando com a junção da traseira cria um efeito chamado pela Audi de Tornado, e também é aplicado ao esportivo TT. O A1 tem 3,95 metros de comprimento, 1,74 m de largura, 1,42 de altura e entre eixos de 2,47 m.

Design concentrado

A dianteira do novo Audi parece concentrada. Os ângulos entre a grade, faróis e entradas de ar dão uma cara de mau ao A1. Parece que o carro está focado em uma presa como um predador em perseguição. Assim como outros modelos da linha Audi, diodos emissores de luz (led) aparecem nos faróis e tem formato de olho. O A1 forma nos faróis uma linha contínua parecida com os do sedã de luxo A8. A extensa grade tem os cantos angulosos e os faróis de neblina vem com barras horizontais. Apesar de ser um carro compacto, a arquitetura da dianteira foi pensada para dar impressão de maior largura para o Audi. A traseira também busca esse efeito com o vinco logo abaixo do vidro e coincidindo com a linha de cintura. O toque esportivo fica por conta do aerofólio traseiro de série. As lanternas, com tecnologia de led, estão integradas à carroceria e localizadas nas extremidades. As peças estão divididas entre a tampa do porta-malas e o carro. Isto é feito para que, numa eventual parada em que se abra a tampa, o A1 não fique com iluminação traseira deficiente. Assim, a segurança é preservada.

Por dentro do A1

O interior do novo compacto da Audi mantém o bom acabamento característico da marca. O painel foi inspirado na curvatura de uma asa de avião e as saídas de ar-condicionado foram desenhadas para parecerem motores a jato. A Audi apostou em cores vivas para a cabine. O comprador do carro pode até colocar uma cor verde limão. No entanto, para os mais conservadores ainda haverá opção de cores escuras e acabamento em couro. Há também a opção de bancos esportivos para as versões mais caras. Toda a iluminação dos instrumentos e cabine é feita com leds. Um monitor de cristal líquido se ergue do topo do painel e mostra os controles de áudio, computador de bordo, GPS e ar-condicionado. A lista de opcionais não foi divulgada, mas já se sabe que um sistema de som Bose de 465 W será oferecido. O A1 compartilha plataforma com o Volkswagen Polo, recém-eleito o Carro do Ano na Europa. Portanto, é um bom ponto de partida. A Audi vai fazer um novo acerto de suspensão e direção para dar ao modelo a personalidade da marca. O compacto terá tração dianteira com diferencial blocante eletrônico. Sistema ABS e controle de estabilidade serão de série.

Motores

Quatro opções de motor estarão disponíveis quando o A1 chegar ao mercado europeu, duas a gasolina e duas a diesel. Todas com tecnologia turbo e injeção direta de combustível. É uma estratégia franca da Audi para diminuir a capacidade cúbica de seus modelos, mas manter a potência com turbocompressores. Tudo isso sem prejudicar o consumo de combustível e os níveis de emissão de CO2. Por esse motivo, todos os A1 virão equipados com um sistema de recuperação cinética de energia de frenagem (KERS) para abastecer as baterias e roubar menos força do motor a combustão.

O menor motor a gasolina é o 1.2 l TFSI com 86 cavalos de potência e 16,3 kgfm de torque. Ele só pode ser acoplado ao câmbio manual de seis marchas. A aceleração de 0 a 100 km/h leva 12,1 segundos e a velocidade máxima é de 179 km/h. O consumo declarado pela Audi é de 19,6 km/l e emissão de 119 g CO2/km. O motor que vai desembarcar em terras brasileiras é o 1.4l TFSI movido a gasolina. A potência é de 122 cavalos e o torque é de 20,3 kgfm. Esta versão pode ser equipada com câmbio de dupla embreagem de sete marchas S tronic. Com ele acoplado, o A1 faz 0 a 100 km/h em 9,1 segundos. Com o câmbio manual a marca é feita em 9,2 s. A velocidade máxima é de 200 km/h e o consumo divulgado é de 19,6 km/l com câmbio S tronic e 18,5 km/l com câmbio manual. A Audi não divulgou número de emissões para esta versão.

Os motores movidos a diesel não vão desembarcar no Brasil, mas é bom dar uma olhada nos números destes propulsores modernos. Os dois usam o mesmo bloco de 1.6 l TDI, mas as diferenças na injeção e turbocompressor fazem a diferença. A opção mais fraca produz 90 cv de potência e 23,4 kgfm de torque. Em 12,2 segundos o carro alcança 100 km/h e tem velocidade máxima de 179 km/h. O consumo é de 26,3 km/l e emissão de 99g CO2/km. O diesel mais "bravo" produz 105 cv de força e torque de 25,4 kgfm. A velocidade máxima é de 187 km/h e a marca dos 100 km/h chega em 10,8 segundos. O consumo declarado é de 25,6 km/l. Agora é esperar o Salaão de Genebra para saber mais detalhes e conhcer o Audi A1 por inteiro.

[wppa type=”slide” album=”4387″][/wppa]