Nova geração marca volta da Renault ao segmento de luxo

Laguna 2008

Após 13 anos, mais de 2,3 milhões de unidades vendidas e duas gerações, a família Laguna é renovada. A Renault lançará no próximo mês, durante o Salão de Frankfurt (Alemanha), a nova gama do modelo. O novo Laguna será fabricado em Sandouville, na França, e traz a montadora francesa de volta ao segmento de carros de luxo.

Com novas tecnologias — com destaque para o dispositivo de impactos laterais e o duplo airbag de tórax —, a novidade estará disponível nas configurações Sedan e Sport Tourer (perua), em motores a gasolina e a diesel, câmbios manual e automático de seis velocidades e três versões de acabamento: Dynamique, Expression e Privilège.

Entre os propulsores a gasolina está o 2.0 litros 16 válvulas com 142 cavalos de potência e 19,9 kgfm de torque. Desenvolvido pela aliança Renault-Nissan, este motor faz o sedã acelerar de 0 a 100 km/h em 9,1 segundos e apresentar consumo combinado (estrada/cidade) de 12,6 km/l, segundo dados da marca francesa.

Haverá também uma variante Turbo desta motorização. Com este conjunto mecânico, a terceira geração do Laguna terá 172 cv e 27,5 kgfm e será equipada somente com a transmissão automática Proactive, de seis marchas. O consumo misto será de 11,2 km/l e serão necessários 30 s para percorrer 1 quilômetro. Encerrando a gama a gasolina, o 1.6 16V (configuração de entrada da gama) terá 111 cv e torque de 15,4 kgfm. Posteriormente, a aliança Renault-Nissan disponibilizará ao veículo um novo propulsor V6, denominado V4Y, que virá para ser o topo de linha.

A primeira opção a diesel será um 1.5 litro dCi com os mesmos 111 cv do motor 1.6 a gasolina, porém com 24,5 kgfm de torque disponíveis a 2.000 rpm. Conforme informações da marca, com câmbio manual, o Laguna 1.5 l diesel apresenta consumo combinado de 19,6 km/l, dando ao modelo autonomia de até 1.300 km. Serão oferecidos ainda três conjuntos derivados do motor 2.0 l dCi, que desenvolvem 131, 152 e 177 cv.

De acordo com a Renault, a novidade será equipada com a segunda geração do sistema de botão de partida ("start"), desenvolvido para funcionar em temperaturas de até -23º C e esta será a primeira vez que um automóvel da marca será mais leve que seu antecessor (15 quilos). Dotado de carroceria desenvolvida em túnel de vento e testada virtualmente, o modelo é equipado com freios a discos nas quatro rodas, com sistema ABS assistido pelas tecnologias EBA (Electronic Emergency Brake Assistance) e controle eletrônico de estabilidade. (ESP).

Na lista de opcionais estão, entre outros, o monitoramento eletrônico da pressão dos pneus, faróis bi-xenon direcionais, GPS com mostrador 3D, Bluetooth, dois airbags extras (tórax) — totalizando oito bolsas infláveis — e acabamento em couro Alcântara (versão Privilège).

Contudo, uma das principais armas do veiculo é seu design. A linha de cintura é elevada enquanto que o capô longo tem vincos bem definidos. Internamente, o novo Laguna recebeu um avançado sistema acústico e o painel conta com acabamento em duas tonalidades.

O modelo Sedan terá 4,69 metros de comprimento, 1,81 m de largura, 2,76 metros de distância entreeixos, ao passo que a versão Sport Tourer ostentará 4,80 m de comprimento e porta-malas para 510 litros. Volume que pode chegar a 1.593 litros, com os bancos traseiros rebatidos. Em ambas configurações serão oferecidos três tipos de pneus: 16 polegadas (195 e 205/60), 17" (215/50) e 18" (225/45), que equiparão os veículos de acordo com a motorização.

Além dos 32 meses de desenvolvimento e de investimentos superiores a 1 bilhão de euros, para chegar ao modelo de produção, a montadora francesa testou 120 veículos por mais de 6 milhões de km nas pistas da Argentina, Rússia, Austrália e Malásia.

[wppa type=”slide” album=”3313″][/wppa]