Clássico retorna após meio século

Fiat 500

No mundo da moda é comum as tendências do passado voltarem à tona. Ontem (4), a Fiat mostrou que esse vai-e-vem também é válido para o mundo dos automóveis. Longe das passarelas, o Fiat 500 renasce 32 anos depois de sair de linha. O compacto italiano volta com a mesma pompa que conquistou milhares de consumidores na década de 1950, mais precisamente a partir de 1957, exatamente 50 anos atrás.

E para relançar o 500 (ou Cinqüecento, como dizem os italianos) a montadora realizou em Turim, na Itália, uma grande festa às margens do Rio Pó, e hoje apresentou o modelo à imprensa especializada internacional. Como não poderia deixar de ser, o novo 500 não esconde as influências do modelo vendido há meio século, a começar pelo visual e medidas. Exemplos disso são os faróis redondos, os filetes cromados dianteiros — com o logotipo da Fiat ao centro — os frisos laterais e o contorno do capô que avança pelas laterais.

Outro item que conserva as origens do modelo antigo é o mostrador circular original, mas agora ele conta com mais informações. O novo veículo tem 3,55 metros de comprimento, 1,65 m de largura, 1,49 m de altura, e 2,30 m de distância entreeixos. O bagageiro é compacto como o carro: tem capacidade para 185 litros — no 500 antigo, o porta-malas ficava sob o capô, que ainda abrigava o estepe e a bateria. O teto traz uma placa de vidro que pode ser fixa ou móvel ("Sky Dome"). Na traseira, as lanternas continuam apoiadas sobre o pára-choque e ao lado da tampa do porta-malas.

Disponível em 12 opções de cores externas e 15 combinações de acabamento interior (incluindo assentos de couro de várias tonalidades), o carrinho pode ser equipado com duas motorizações a gasolina — 1.2 litro, de 69 cavalos de potência, e 1.4 l, de 100 cv — e uma a diesel (1.3 Multijet, de 75 cv). Todos contam com câmbio manual de cinco marchas, com exceção da opção de 100 cv, que contará com caixa de transmissão de seis marchas. A Fiat estuda a possibilidade de oferecer câmbio automático de cinco marchas para o compacto no futuro.

De acordo com informações da marca, o motor 1.2 8V Fire faz o 500 acelerar de 0 a 100 km/h em 12,9 segundos, com velocidade máxima de 160 km/h. Dotado do propulsor 14.4 16V Fire, o compacto chega aos 182 km/h e vai da imobilidade aos 100 km/h em 10,5 segundos. O carrinho com o 1.3 16V Multijet faz o teste de aceleração em 12,5 segundos e tem velocidade final de 165 km/h.

Na Europa, o compacto custa 10.500 euros (aproximadamente R$ 27.500) na versão de entrada (motor 1.2), e a partir de 12.500 euros (cerca de R$ 32.500) nos propulsores 1.4 (gasolina) e 1.3 (diesel). O Cinquecento poderá ser recheado com até sete airbags (2 frontais, 2 laterais, 2 tipo cortina e um para os joelhos do motorista) e pontos de fixação Isofix para cadeira infantil. Entre os opcionais destacam-se sistema Bluetooth para telefonia móvel, porta USB e MP3 player. Após o lançamento no mercado europeu, o compacto integrará navegador e comandos do sistema de áudio no volante.

O modelo traz estilo baseado no protótipo Trepiùno, apresentado no início de 2004, e foi desenvolvido pelo Centro de Estilo da Fiat. Com a mesma proposta do Mini Cooper (modelo da BMW que traz estilo retrô e recentemente alcançou a marca de 1 milhão de unidades produzidas), o 500 tem 5 anos de garantia e será montado na fábrica polonesa de Tichy.

A Fiat tem projeções de vender de 50 mil Cinquecentos por ano. Meta que provavelmente será superada, uma vez que os revendedores da marca já receberam 25 mil mil pedidos. Por enquanto, a marca italiana não tem planos de trazer o novo 500 para o Brasil.

[wppa type=”slide” album=”3310″][/wppa]