Tradicional conversível atinge seu auge

Porsche 911 Cabriolet

Lá se vão 40 anos que o famoso Porsche 911 Cabriolet tem evoluído. Agoraao chegar à versão 2005o carro parece ter beirado a perfeição. O novo projeto envolve inúmeros detalhescomo sistema de capota que pesa a metade do convencionaldireção que gera respostas mais rápidas conforme o ângulo de giro do volantedrenagem mais eficiente no caso de chuvaalém de uma série de mudanças para reduzir o peso e melhorar a aerodinâmica. Como uma jóia lapidada ao longo do tempoo esportivo alemão atinge seu auge esbanjando carisma e com fôlego de sobra.

As novas linhas da carroceria incluem traços herdados da versão cupêapresentada em maio do ano passado. Os grandes faróis ovaladosem conjunto com a frente de entradas de ar mais largas fazem parte do novo estilo adotado pela marca alemã sediada em Stuttgart. Mas o que chama a atenção mesmo é o alto nível de sofisticação do carro. Um exemplo fica por conta da capotaque pode ser recolhida em 26 segundosmesmo em movimentocontanto que não seja acima de 30 km/h. Outro é o baixo coeficiente de arrasto aerodinâmico (Cx 0,29)conseguido graças a vários detalhescomo o menor centro de gravidade.

Como a leveza é um dos pontos importantes tanto para dirigibilidade quanto para desempenhoo 911 Cabriolet passou por um sério regimeque levou em conta até a liga metálica das rodaso que garantiu uma economia de peso de 10% em relação à versão anterior do conversível. No lugar do estepe e do "macaco"há um produto próprio para tapar eventuais furos e um compressor de ar elétricoque garante rodar com o pneu furado desde o velocímetro não passe dos 80 km/h. Além dissoos discos de freio são de fibra de cerâmica e as molas de alumíniosendo 70% mais leves que as convencionaisconforme a Porsche.

O interior também reserva surpresas agradáveis. Pela primeira vez o volante abriga comandos dos sistemas de som e navegação por satélite. Para os mais altos ficaram mais confortáveisos pedais ficaram um centímetro mais afastados do banco. Todos os assentos receberam nova estrutura para absorver melhor as vibrações e manter os ocupantes dispostosmesmo em viagens longas. Além dissocomo opcionalhá DVD para entreter os passageiros e um som sofisticadoque inclui até equalização ajustada automaticamente conforme as condições acústicas. O porta-malas continua apertadomas agora leva 125 litros de bagagem.

Assim como o novo 911 cupêa versão cabriolet está disponível com 3.6 de 325 cavalos e 37,8 kgfm de torque a 4.250 rpmou 3.8 de 355 cv e 40,8 kgfm a 4.600 rpm. São números que impressionamassim como detalhes técnicoscomo lubrificação por cárter seco com três bombas de óleocomandos de válvulas variáveis e amortecedor na polia do virabrequim para absorver vibrações. Até o ângulo da injeção de combustível na câmara de combustão foi estudado minuciosamente para otimizar a mistura e diminuir o nível de emissões com o motor frio.

Para arrancadas mais vigorosasa troca de primeira para a segunda marcha do câmbio automático seqüencial Tiptronic de cinco teve o limite de giro aumentado de 6.900 rpm para 7.200 rpm. Mas há também o manual de seis marchasque foi reforçado com carbono sem comprometer o regime de peso. O resultado de tudo isso pode ser traduzido em um desempenho de tirar o fôlego. Segundo dados do fabricanteno Cabriolet Sa aceleração de 0 a 100 km/h é feita em meros 5 segundostempo que sobe para apenas 11,6 s se o velocímetro chegar até 160 km/h. Graças à nova suspensão (controlada eletronicamente) a rolagem da carroceria nas curvas é quase nula e o carro mantém alto nível de aderênciaconforme a Porsche.

[wppa type=”slide” album=”3366″][/wppa]